7 dicas para evitar acidentes entre cães e crianças pequenas

Aprenda a fazer um castelo de caixas para o seu gato!
11 de abril de 2016
Cortar orelhas e rabo de cachorro é crime
9 de maio de 2016

7 dicas para evitar acidentes entre cães e crianças pequenas

A convivência entre os pets e as crianças levanta diversos questionamentos, como por exemplo, se a interação é realmente segura, se faz bem para os pequenos, se é higiênico e não prejudica a saúde, etc. Hoje, após muitas pesquisas científicas e estudos, foi comprovado que a convivência entre eles é muito benéfica para o desenvolvimento infantil.

Além de ser divertido para as crianças, é um estímulo mental e físico, que as motivam a serem mais ativas, confiantes, sociáveis e criativas. Apesar de tantos benefícios, as interações entre os bichinhos e os pequenos podem terminar em acidentes.

Com limites e supervisão, a amizade entre os dois pode ser muito tranquila. Confira as dicas abaixo.

O que não fazer:

1. Se ainda não tem um bichinho, pesquise sobre as raças antes de adotá-lo. Procure escolher um cão de raça mais dócil e brincalhona, que tenha energia e se dê melhor com as crianças.

2. Se você já tem um pet em casa, faça a apresentação com cuidado e logo quando o bebê nascer. Assim, você evita o ciúme e ele entende que aquele é mais um membro da família.

3. Ensine a criança o que pode ou não fazer, quando estiver perto do amigo peludo. Explique que não se deve incomodá-lo enquanto está comendo, dormindo ou cuidando de seus filhotes. Assim, o animal não se sentirá ameaçado.

4. É importante ensinar, também, que a criança não pode bater no animal, puxar os pelos, passar a mão na cabeça ou no rabo. Muitas vezes, durante a brincadeira, os pequenos acabam por fazer isso, o que machuca o cãozinho e o faz ter uma reação agressiva, colocando a vida da criança em risco.

5. Correr, gritar e seguir o animal pela casa não é indicado. Isso fará com que o cachorro se sinta ameaçado, causando agressividade predatória.

6. Se o cão está isolado, ensine aos pequenos que não devem tentar interagir com eles. Os cães também precisam de um momento só deles e não gostam de ser incomodados.

7. Durante os passeios na rua, explique à criança que ela não deve ir até o cachorro, mas sim esperar que ele venha até ela. Antes de qualquer tipo de contato, pergunte ao dono se o cão é dócil e se é possível brincar ou passar a mão.

Todas as interações entre as crianças e os cães devem ser supervisionadas. Depois de ensinar tudo certinho, tanto às crianças quanto ao pet, é só supervisionar e deixar que os dois desenvolvam uma amizade que será para a vida inteira! Boa sorte.

Fonte: http://caocidadao.com.br

Os comentários estão encerrados.