Filhotes órfãos: dicas para alimentação e cuidados

5 dicas para manter seu cão feliz
30 de março de 2015
Quantas vezes tenho que passear com o meu cão e qual a duração de cada passeio?
23 de abril de 2015

Filhotes órfãos: dicas para alimentação e cuidados

por Flavia Ferreira

Higiene, nutrição adequada e isolamento do ambiente ajudam a garantir o desenvolvimento saudável dos filhotes de cães e gatos que perderam suas mães

Saber que uma cadela ou gatinha está grávida é sempre uma notícia muito boa. Todos se preparam para receber os novos moradores dias antes do nascimento dos filhotes e ficamos na expectativa à espera de 1, 2, 3 filhotes ou mais. O que nós não esperamos é que possa havercomplicações no parto e a mãe venha a falecer, infelizmente. É neste momento que não podemos deixar os filhotes desamparados e devemos ajudá-los para garantir um crescimento saudável.

Como nos primeiros 10 dias os filhotes ainda não abriram os olhos, é natural que eles façam tudo instintivamente. É com a ajuda da mãe que se alimentam e aquecem o corpo, mas, na ausência dela, somos nós que devemos socorrer e suprir estas necessidades.

O leite materno é o mais nutritivo e completo que existe. Ele garante que o filhote receba todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento. Com níveis de proteínas, gorduras, açúcares, vitaminas, minerais e água, ao amamentar o filhote, a mãe oferece a alimentação adequada para o crescimento e formação saudável. Se o filhote não é amamentado pela mãe, é necessáriocuidado e assistência redobrado para garantir sua saúde e evitar a desnutrição. Ao se deparar com a tarefa de alimentar o filhote, temos que optar pela alimentação artificial. Existem as fórmulas prontas disponíveis em pet adequadas para a alimentação equilibrada do filhote no início da vida.

É importante evitar o leite de vaca, pois ele não satisfatório para a alimentação de gatos e cães recém-nascidos, possuindo muito menos gordura, cálcio e proteína que os leites da cadela e da gata. O nível de lactose (açúcar do leite) no leite da vaca é o dobro do encontrado no leite desses animais, podendo causar diarreia.

Se estiver na dúvida sobre o que dar e qual a quantidade ideal, converse com um veterinário e também pergunte sobre o intervalo entre cada alimentação.

Outro cuidado que devemos dar atenção especial aos filhotes órfãos é ajudá-los nos primeirosvinte dias de vida com a evacuação. Para fazer as necessidades, gatos e cachorros filhotes precisam ser estimulados, tarefa que pode ser feita após a amamentação. Para que o filhoteevacue e urine passe um algodão embebido em água morna na região genital do animal até perceber que ele recebeu estímulo suficiente para evacuar e urinar.

Além dos cuidados nos primeiros dias e meses de idade, os filhotes precisam de umacompanhamento até dar os primeiros passos e começarem a sair da casinha. É neste período que muda um pouquinho a alimentação deles e já podem ser introduzidos alimentos úmidos. O ideal é que seja mantida esta alimentação até um ano de idade. Como os filhotes não tiveram o amparo da mãe, dar a ração, mesmo que sejam aquelas destinadas a filhotes, podealterar o metabolismo e eles podem não aceitar muito bem o alimento. Se for mantida aalimentação adequada com controle de quantidade e intervalos, quando o filhote chegar aos 12 meses de idade, estarão com o peso e a saúde ideal para sua idade.

Por mais que tenhamos o acompanhamento do veterinário e uma orientação adequada para a alimentação dos filhotes órfãos, ainda existe a possibilidade de desnutrição. E por se alimentar artificialmente, pode ser que o filhote tenha complicações com a diminuição do nível de glicoseno sangue (hipoglicemia), a falta de cálcio e fósforo no corpo e a carência de vitaminas. Mas estes sintomas não comprometem os filhotes por toda a vida.

 

Fonte: http://www.petmag.com.br/

Os comentários estão encerrados.